web analytics
­

A mulher ao centro da vida

sábado, 25 de agosto de 2018|

Chegou ao meio da vida e sentou-se para tomar um pouco de ar. Não sabia explicar. Não era cansaço, nem estava perdida. Notou-se inteira pela primeira vez em todos esses anos. Parou ali, entre os dois lados da estrada e ficou observando as margens da sua história, a estrada da

Perdão

sábado, 18 de agosto de 2018|

É que, às vezes, minha sensibilidade me doeu. Às vezes, ela me fez latejar. Mas houve as vezes em que ela me trouxe versos e só por causa dessas vezes, a perdoei. Perdoaria novamente e latejaria de novo, se preciso fosse, para receber o afago da sensibilidade em meu peito.

Folhas caídas

sábado, 16 de junho de 2018|

Olhei e achei bonita a cena tão colorida das folhas e flores caídas em meio ao dia nublado. A mulher negra as varria; não sei se dava por conta do belo que produzia enquanto as ia varrendo. Juntava, em torno de si, tapete de cor e alento no meio do

Observa as plantas

quinta-feira, 31 de maio de 2018|

__Filha, se quiser saber da alegria de uma casa, observa as plantas que nela habitam. Poucas coisas falam tanto da alegria de uma casa quanto as plantas, que não sabem disfarçar dissabores: se tristes, desbotam, ressecam; felizes, verdejam folhas que luzem. As plantas sentem a alegria e vicejam em meio

Telegrama

segunda-feira, 14 de maio de 2018|

Quando eu era menina e, por compromisso de trabalho, minha mãe não podia comparecer a algum evento em minha escola, ela me enviava telegrama em que me dizia o quanto gostaria de ter estado presente, registrava seu orgulho por me ter como filha. Eu me sentia importante quando recebia um

Namoro

segunda-feira, 7 de maio de 2018|

Ela chorava por Ramon, que se deixou fotografar com outra. Não satisfeito, exibiu a foto na internet. Estava feliz na foto, o infeliz! - Mas você não namora o Ramon, quer o quê? Que ele fique te esperando sentado, a vida toda sem ninguém? - Quero! Eu sei que não

Quando Vítor vir a lua

segunda-feira, 7 de maio de 2018|

Quando Vítor viu a uva, seu olho se encheu de luz: u+v+a= uva! (A felicidade da uva vista uma vez primeira!) Quando Vítor vir a lua, seu olho vai ser só sol. De meu olho, choverão uns pingos. Entre meu olho e o seu nascerá ponte: arco-íris.

Das felicidades inesperadas de um dia anormal

domingo, 6 de maio de 2018|

Fosse um dia como outro qualquer, um dia normal, eu estaria guiando meu carro, sozinha, no caminho quotidiano para o trabalho. Escolheria a trilha sonora para dar o tom do meu dia e me fazer abstrair as motos insanas que insistem em usar as faixas brancas como corredores exclusivos, desviando

Sarah acariciando o Planeta Água

quarta-feira, 18 de abril de 2018|

Hora de regressar a ti, bondosa mãe Natureza. Me acolhe em teus braços e guia meu caminhar. Porque é em teu silêncio que encontro a verdade de que não me falam os discursos ou as letras dos homens; porque nenhum templo construído pelas mãos dos homens é, como tu, capaz

E é tão Bonito quando a gente entende

domingo, 15 de abril de 2018|

Fazia tempo que te sonhava, Bonito, então finalmente resolvi fazer o tempo de te realizar. Descobri que, em mim, como em qualquer um, há tempo, mas tempo é lençol freático que corre silencioso por baixo das camadas de nós, é preciso escavar as camadas que o escondem para fazê-lo brotar.